O guaraná, Paullinia cupana Kunth é uma planta da família Sapindaceae, originária da região Amazônica, a qual possui clima tropical, quente e úmido. Etimologicamente, é derivado da palavra indígena “wara’ná” e significa árvore que sobe em outra. O seu fruto é conhecido como guaraná e suas sementes são comercializadas principalmente na forma de pó e xarope.

                                                                                     guaraná

      É amplamente utilizado na medicina tradicional brasileira, sendo empregada em bebidas caseiras e industriais, como tônico e estimulante. A parte utilizada é a semente seca e levemente torrada.

      Dentre os principais constituintes químicos do guaraná encontram-se as metilxantinas (cafeína, teofilina e teobromina) e os taninos condensados, que são compostos por unidades monoméricas interligadas, sendo as principais a catequina e a epicatequina.

      Os principais efeitos fisiológicos da atuação da cafeína no organismo humano são: o efeito estimulante, o efeito diurético e a dependência química. Tais efeitos são responsáveis pelo aumento da taxa metabólica, do relaxamento da musculatura lisa dos brônquios, do trato biliar, do trato gastrintestinal e de partes do sistema vascular. Ela é metabolizada no fígado e tem uma meia vida de cerca de três a seis horas, não acumulando no corpo. 

      A cafeína exerce efeito estimulante sobre o sistema nervoso central, músculos cardíacos, sistema respiratório e secreção de ácido gástrico. Também é considerada como um diurético fraco e relaxante muscular.

      O açaizeiro é palmeira de ampla distribuição no Amazonas e na Amazônia, constituindo produto de grande relevância sócio ambiental e econômica para a região. Duas espécies da palmeira predominam na floresta: o açaí de touceira adaptado às condições das várzeas, concentrando-se no estuário amazônico, nos estados do Pará e Amapá, e o açaí de terra-firme prevalece no Amazonas e demais estados Rico em fibras, proteínas e minerais.

                                                                                               açaí

      Estudos indicam que o efeito antioxidante do açaí é quase totalmente atribuído às antocianinas e que a classe destes flavonoides tornaram-se destaque por seus efeitos protetores contra muitas doenças, principalmente doenças cardiovasculares e câncer. A literatura mostrou que as propriedades dos polifenóis, vitamina C e ação antioxidante são resultado de uma combinação de diferentes compostos em sinergia.

      Rico em vitamina E, cálcio, magnésio e potássio, o açaí ainda previne o envelhecimento das células e dos órgãos.

 

Por: Lara Zambon