chia é uma semente da planta Salvia Hispânica L. e nativa da região do México e Guatemala.  Suas sementes são pequenas e ovais de coloração variada (preta, cinza, marrom escura ou branca). É rica em Ômega ­3 e uma boa fonte de proteínas e de fibras. Contém fósforo, manganês, cálcio, potássio, sódio e antioxidantes como o ácido caféico. Além de vitaminas (vitamina A, tiamina, riboflavina, niacina, cobalamina, ácido ascórbico e alfa­tocoferol).

A semente da chia é considerada um alimento funcional dada suas características compositivas. Seu efeito mucilaginoso (o de absorver e reter quantidade significativa de água, como um emulsificante) devido à alta concentração de fibras, torna a chia interessante para quem busca emagrecer, uma vez que intensifica a sensação de saciedade. O perfil de aminoácidos (Isoleucina, Leucina, Valina, Lisina, Metionina, Fenilalanina, Treonina, Triptofano) da semente de chia permite que ela seja uma boa opção como fonte proteica.

Como as sementes de chia absorvem muita água (cerca de 10x seu próprio volume) e têm fibras altamente solúveis, eles ajudam na digestão de carboidratos e na liberação gradativa da energia na corrente sanguínea controlando assim a ansiedade.

A semente de chia possui fibras solúveis e insolúveis. As fibras solúveis aumentam de volume e formam um gel em contato com os líquidos em nosso estômago proporcionando maior sensação de saciedade. No intestino as fibras insolúveis aumentam o bolo fecal e diminuem o tempo com que as fezes ficam em contato com a mucosa, assim as toxinas são eliminadas mais rapidamente.

chia semente chia-plantacao chia e iogurte

Na literatura há estudos evidenciando que a suplementação de 3,7 a 4 gramas/dia reduziu a pressão arterial. No estômago promove uma conversão mais lenta de carboidratos em açúcar sendo utilizado no auxílio do controle da glicemia sanguínea. Por ser uma das principais fontes vegetais de ômega­ 3, torna­-se um alimento auxiliar no tratamento de pacientes portadores de alergias, dislipidemias, insuficiência coronariana, risco cardiovascular elevado, diabetes tipo 2, situações em que há presença de resistência insulínica e/ou distúrbios endócrinos.

Muito benéfica para desportistas, por serem hidrofílicas. Absorvem até 10 vezes seu peso em água, mantendo o corpo hidratado.

A chia é considerado um alimento com potencial anti­-inflamatório devido a presença de alguns antioxidantes (ácido clorogênico, ácido cafeico, miricetina, quercetina e outros flavonoides).

Estudos mostram que um consumo adequado de flavonoides pode atuar na prevenção de algumas doenças como as cardiovasculares, embolia, câncer de pulmão e de estômago.

Também ajuda a absorver o excesso de ácidos. Sendo assim diminui casos de refluxo gástrico.

Qualquer pessoa pode ingerir a semente de Chia. Porém, pessoas com a chamada “síndrome do intestino irritável”, devem ficar atentas com o consumo de sementes em geral e procurar o atendimento de um profissional.

A semente de chia pode ser consumida crua junto com o cereal matinal, no iogurte, nas saladas ou em bebidas; triturada em preparações como pães e biscoitos ou pode ser deixada de molho (1 colher em um copo de água por alguns minutos) para formar uma textura gelatinosa e ser usada no preparo de mingau, sopas, batida em sucos ou em receitas de bolo, por exemplo. É um excelente substituto do ovo em receitas.

Por: Vanessa Vieira R. Menezes – Nutricionista Kampo de Ervas